Há segurança nos nossos carros? Campanha de sensibilização e de segurança rodoviária infantil

Este é daqueles temas a que se deveria dar mais ouvidos…
Mas não se ouve assim tanto falar sobre isto, e porquê? A questão de hoje é:
Andamos com os nossos filhos em segurança nos nossos carros? Ou assim-assim?

Falo-vos disto porque eu própria não dava muita atenção a este tema. Tinha cuidados, claro, porque sou mãe-galinha, mas era ligeiramente avessa a “exageros” e se há cadeirinhas baratas e legais, why not? Se são legais é porque, certamente, são seguras.
Mas a verdade é que descobri que a coisa não se fica por aí, e não é bem assim

Fui falar com uma amiga, Isabelinha Costa de Sousa, que é expert em segurança rodoviária infantil, é formadora em centros pré e pós parto, hospitais, escolas, dá formações, conferências, workshops, etc…
Então, fui perceber se andava a fazer tudo bem no que toca ao processo de andar com o Manelinho no carro.

A nossa conversa começou com números que me assustaram. Números (europeus) ainda demasiado altos, onde ainda
existem muitas mortes e feridos (infantis) nas estradas:

 – Número de mortes por semana: 10
 – Número de feridos por semana: 1150

(Dados do WHO 2007, EEVC WORKING GROUP 18 REPORT CHILD SAFETY (FEB. 2006). PESQUISA EM 12 PAÍSES DA UNIÃO EUROPEIA E POLÓNIA, TURQUIA E REPÚBLICA CHECA A CRIANÇAS ATÉ AOS 14 ANOS (2003).

São números demasiado elevados…
E é aqui que começa o desenvolvimento do trabalho da Isabelinha: Reduzir urgentemente estes números e consciencializar as pessoas.
Estes números são elevados, porque andamos talvez a poupar na segurança dos nossos filhos. Escolhemos por vezes marcas ou produtos para sentar os nossos filhos no carro, mais baratos, colocamos os miúdos aparentemente com segurança, mas não estamos informados o suficiente sobre como o devemos fazer e muitas vezes eles acabam por não estar suficientemente seguros.
O simples facto dos cintos não estarem devidamente bem ajustados ou colocados, a posição da cadeira não ser a correcta, o tamanho da cadeira idem, são tudo factores de grande risco para a segurança dos nossos filhos.

Passou-se a falar, no que toca às medidas necessárias para as cadeirinhas dos carros, em cm´s, e não mais em PESO.
Porque, como sabemos, uma criança, pode corresponder a determinada idade e ter um tamanho muito a cima ou a baixo do correspondente à sua faixa etária e logo isso, fará com que tudo se altere no que toca ao tamanho e modelo das cadeiras correctas para eles.

Trocando por miúdos:
Existem em Portugal, dois tipos de regulamentação / normas, no que dizem respeito aos assentos
para os carros infantis:

• Norma ECE R 44/04
• Norma i-size R129

 

Porquê duas?
Porque, em primeiro lugar, estamos numa altura de transição de normas. As duas estão em vigor mas a nova norma i-size é bem mais exigente submetendo as cadeiras a testes mais rigorosos.

Também não deixa de ser verdade, que têm que existir cadeiras para todas as carteiras. Uma pessoa com menos poder de compra, não pode ficar excluída de poder ter uma cadeirinha dentro da legalidade para os seus filhos. Mas este tópico gera uma pequena polémica, andarão essas crianças (como a minha, numa cadeira baratuxa) em segurança? E a resposta é, estão legais e de certa forma protegidas, mas poderiam estar muito mais seguras, numa cadeira mais desenvolvida e avançada (e atenção, não estou a falar de marcas mas sim de segurança).
Se formos comparar testes, como os que eu vi com os meus próprios olhos, de um impacto num carro com uma cadeira
topo de gama virada para trás, e adequadamente desenvolvida, com uma cadeira “Low budget” – em certas cadeiras, os danos e resultados dos impactos são abismais, as lesões e o estado da cadeira depois…

Ora foi aqui que me consciencializei, de que faz verdadeiramente a diferença uma cadeira verdadeiramente boa.
E sim, o preço é muito mais pesado. Comparando, por exemplo, como um carro mais recente e de uma boa gama, com um carro antigo, não podemos dizer que é igual e que os dois têm o mesmo tipo de segurança, porque não têm.
Um carro caro, e bom, assim como uma cadeirinha mais cara, melhor e bem desenvolvida, promovem uma segurança das crianças muito maior.

Mas a outra questão, colocada e muito bem, pela Isabelinha foi: ” Afinal, onde é que preferimos gastar o nosso dinheiro?”
E há muita razão neste fundamento.

Eu contra mim falo, que tenho uma cadeira de marca branca, comprada por 70€, era o que podíamos na altura, e pensei,
como disse no início que estava segura e legal, que isso bastava… Mas também conseguimos arranjar uma cadeira auto boa sem gastar balúrdios.
O fundamental é que a cadeira esteja bem instalada.

Depois de muito  pensar sobre isto, não será prudente fazer algumas poupanças e investir numa segurança alta para
prevenir estragos irremediáveis???

Pensem nisto….

A nova norma i-size ou R129 vem conferir às cadeiras:

1.  Maior proteção da cabeça e do pescoço, em caso de colisões frontais, ao fomentar a utilização de cadeiras voltadas para trás, uma posição cinco vezes mais segura do que viajar de frente, pelo menos até aos 15 meses.
2.  Maior proteção em colisões laterais;
3.  Menor risco de instalação incorreta (devido ao uso do sistema ISO-FIX – se não sabe se tem este sistema no seu carro pode entrar em contacto com a linha de apoio que faculto no fim deste post)

Ainda xistem outras questões, as quais eu admito que ignorei e achei que eram demasiado exageradas, como, andar com as crianças até aos 15 meses, 18 meses (melhor ainda), dois anos e meio – de preferência – e 4 anos: ideal dos ideais,
viradas de costas para a estrada. Pensei que era talvez um pouco demais, e dizia: “Na minha idade, quando era criança, andávamos aos 5 e 7 lá atrás e estamos aqui todos…”
A verdade é que não… Não mesmo. Não estamos cá todos, e nessa altura, a taxa de mortalidade era ainda mais sinistra: muita falta de segurança, e por isso as coisas mudaram muito, graças a Deus, mas precisam de mudar ainda um bocadinho mais e é por isso que aqui estamos.

O ponto importante, é que tudo isto, se trata de uma questão cultural, de mentalidades.
A nossa cultura ainda não está preparada para aceitar estas mudanças, não se investe nisto, não se sensibiliza o suficiente, não tentamos saber mais, aprender mais, andar mais informados.

Hoje queria apenas partilhar este tópico e pedir a vossa ajuda para juntos podermos chegar a mais pessoas, por isso
peço a vossa generosidade e que se juntem a nós na divulgação deste tema para conseguirmos reduzir o número de mortes nas estradas Portuguesas.
Mais segurança para os nossos.

Peço-vos que partilhem este post com os vossos amigos e familiares e deixo-vos com este pedido uma boa notícia:

• A Isabelinha faz avaliações e formações neste tema.
• Existe uma linha direta no espaço onde a Isabelinha trabalha: loja 100% bebé (onde há todo o tipo de carrinhos, cadeiras, acessórios para crianças e bebes), criada para todos os que desejam esclarecer, tirar dúvidas ou saber se estão a colocar os vossos filhos em segurança no carro –  É GRATUITO!!!
• Contacto: (+351) 925783634

  •  O lema deste espaço é ajudar os Pais, por isso, se tiverem dúvidas, se forem de viagem, se quiserem saber se está tudo bem no vosso carro, na segurança das cadeiras ou dos ovos dos vossos filhos (até aos 1,35cm), basta passarem pela 100% bebé  (Estoril), e a equipa extraordinária que lá está fará gratuitamente essa avaliação.

    

Os próximos passos cá de casa são, uma vez que o Manel precisa de mudar de cadeira, são adquirir uma nova BOA cadeira e pensar em comprar um novo carro, também ele mais seguro para os três. Como sabem cá por casa ficámos sem viatura devido a um acidento (graças a Deus tudo bem), mas que nos desordenou totalmente a vida.

Dou novidades em breve, obrigada por passarem por aqui,

MU

Links úteis:

Em colaboração com:

1Comment
  • Maria Luisa Adão
    Posted at 15:05h, 24 Julho Responder

    Olá Carminho gostei muito! Gostava só de acrescentar que além de se ter uma boa cadeira é fundamental nunca se facilitar o seu uso, ou seja quando os filhos são mais crescidos, em viagens longas nunca os tirar de lá antes de se chegar ao destino. Vou-lhe contar o que me aconteceu a mim e à Maria,.
    Sempre fomos para o ALENTEJO de carro, utilizando sempre uma boa cadeirinha, que foi substituída por uma que daria até aos 10 anos. Quando a Maria tinha 6 anos, aproveitando os feriados de Junho partimos para o ALENTEJO. As filas eram imensas e a viagem foi muito mais longa! Perto de Portel a Maria pediu-me para sair um bocadinho da cadeira para descansar estava farta! Hesitei e estive mesmo para lhe desapertar o cinto, mas graças a Deus disse-lhe que não que só sairia da cadeira quando chegássemos. Passados nem 5 minutos um carro veio contra nós de frente! Um dos nosso pneus rebentou, perdi o controlo do carro, acabando por capotar, com os quatro pneus para cima!. Os vidros partiram-se todos e ficámos as duas de cabeça para baixo , bem presas pelos cintos de segurança! A cadeirinha da Maria nem se mexeu e manteve-a em segurança.
    Como foi importante ter uma boa cadeira e resistir á tentação de a soltar por um bocadinho para descansar!!!
    Final da história o carro Jeep Range Rover foi para a sucata, nós saímos bem só com hematomas e alguns vidros espetados e um grande susto!!!!
    Beijinhos TLuisa

Post A Comment