8 meses de amor. Estamos tão perto

#32semanas de gente… Chegámos ao 8.º Mês
Uma #bigbelly que acho que estamos, declaradamente, em fase: todos-os-dias-cresce-mais-sem-parar, a olhos vistos!!
#bebepelvico … ja encaixou já rodou, anda aqui num malabarismo que só visto!!
É brutinho como o mano, adora fandango 😂  Talvez esta loucura toda por serem rapazes? Não sei o que é gravidez de baby girl!!
#mãepodre – de rastos! Acabada!
Duas semanas de noites levanta, deita… deita levanta, para cuidar do Manuel, já não sei o que é ter esta cara sem olheiras e com aspecto luminoso… (agora também, só quase noutra vida!!)
#pinguim mode! Haha! Pareço um pinguim 🐧 dos grandes, a deslocar-me, a mexer-me, a viver!
Tudo o que seja a baixo da cintura = morte súbita!! Impossível, mas tem que ser.
Começou a fase do inchaço… requer fazer muitas coisas que não faço, como pernas para o ar, massajar (faço sim uma vez por semana drenagem na Clinica Nutrição de Lisboa, que me salva literalmente a vida.)

Melhor facto: cabe cá tão bem ainda o Manel ao meu colo, colado ao mano.
Ontem constatei, que nunca mais os terei assim os dois nos braços: um por baixo, na barriga, outro por cima, agarrado a mim. Sabe a céu.
Terei sim, certamente, os dois, um em cada braço, porque no colo de Mãe cabe tudo, verdade?
Amor de Mãe vai-se multiplicando…. vou começando a conseguir entender esta máxima.
Vamos falando muito sobre o mano, e os próximos tempos, vamos mostrando as coisas para ele, montámos o berço, a alcofa também está quase pronta… Roupas vão sendo lavadas.
Mote: falar muito com o baby Fernandinho, que precisa de atenção 🙂 tem andando sempre para segundo plano. E não há que admirar que se sente e me chame a atenção. Estes pequenotes já sabem tanto desde tão pequeninos, somos mesmo criaturas muito bem desenhadas.

Os dois homens cá da casa, já sentem que está tudo a mudar, literalmente tipo bichos … vamos gerindo da maneira que sabemos. Umas vezes mais fácil, outras tantas bem mais complicadas. Sei que me desgasto para poupa-los e que está na altura (e mais do que na altura) de reclamar atenção que me é devida e que mereço, mas é me complicado executar tal tarefa. Sou mais dada à típica estupidez de me consumir até ao heroísmo e rebentar que nem um balão.
Eu, tenho apenas a vantagem de que fisicamente para mim já começou tudo a mudar há 8 meses, e nestas semanas finais o nosso corpo e mente de facto ajudam-nos muito a mudar o chip. O nosso corpo vai-nos preparando desde o primeiro dia de uma nova vida aqui dentro. Sei que para eles esse processo é menos “natural”, na medida em que não sentem o que nós sentimos, não sentem toda esta vida, 24h dentro deles, não sentem o corpo pesado, as pernas inchadas, as insónias brutescas, as dores, as preocupações, o síndrome de fazer o ninho e preparar o nascimento, querer ter tudo pronto e seguro. Não sentem tudo isto tão na pele como nós, e por isso, é um caminho em que se têm que consciencializar, e eles próprios esforçarem-se para que também o corpo deles mude de certa forma e se habitue.
Mãe com tudo isto na bagagem e muito mais.
Mãe muito feliz.
#bigblessing Deus só dá na medida em que somos capazes. Agradecer (muito), orar, entregar, confiar 💕🙏🏻 ter a certeza de que Ele não nos deixa sós.

No Comments

Post A Comment