Nas férias

Nestes dias, longe da rotina, perto do rio, do ar puro, da bicharada e dos passeios sem horas, tenho aprendido muito. 

Como sempre aliás, todos os momentos e fases da vida, há muito por onde colher, é só preciso ter a pestana mais aberta para entender o que Deus nos está a dizer.

E aqui,  Ele tem me dito muita coisa, tanta que por vezes demoro a receber, mas já sintonizei. 

Férias, muitas vezes não são sinal de descanso, quando há bebés, filhos… 

Existem estes seres dependentes de nós e dentro da auto-gestão possível de cada idade, é preciso olhar, cuidar, providenciar, também mimar, preparar, organizar, arrumar muito, limpar… nada de muito diferente dos restantes dias do ano! 

As férias são para eles. 

Para mim, como Mãe ficam para outros futuros tempos. 

Esta viagem maternal tem me ensinado a aniquilar os meus desejos, as minhas vontades os meus caprichos e pôr tudo em prol deles. É, eu sei… às vezes é demais e precisamos (mesmo) do nosso tempo, dos nossos timings, dos nossos cuidados e auto-miminhos… gostava que desse, mas não dá assim tanto quando desejada. 

Eles são prioridade sempre. 

Eu sei… muitas vezes fico a romper.

Mas onde quero chegar? 

Simples… tenho aprendido uma lição dura mas muito boa. 

Casamento e parentalidade são um enorme caminho para a Santidade.

Não, não sou santinha de altar nenhuma, estou aliás bem distante. 

Mas… 

Estes dias têm conversado muito comigo. Têm me ensinado a saber dar mais, e a ficar contente com isso. 

A segurar a tampa e não deixar a água fervida soltar quando mais me apetece.

A perdoar.

A não ficar com o rancor.

A entender que mesmo onde eu queria encontrar amor desmedido e se não estiver lá, eu sou uma pessoa muito amada na mesma, é só uma questão de gerir melhor as expectativas.

A não despejar o stresse todo, e a compreender que o outro tem muitas necessidades. 

A talvez deixar cair algumas coisas que me irritam… amanhã é um novo dia e tudo será melhor.

Deitar-me alegre, apesar de sentir que me passou em cima uma escavadora. 

Sorrir para os outros mesmo quando estou com um melão daqueles.

Agradecer.

Pedir perdão aos mais pequenos quando exagerei, faço-o sempre que sinto que foi demais. Acho uma lição positiva e importante para eles, saberem que apesar de ser mãe, da minha autoridade, e etc… que também descaio, que também erro, que me canso, irrito, fico sensível e que não há mal em pedir perdão, muito pelo contrário. 

É nesse gesto que ganho o respeito deles. 

Em suma… 

Se estou estafada? 

Estou.

Se precisava de mais atenção para mim? 

Sim. 

Se tenho vontade de fugir para um spa? 

Muita.

Se há dias em que sinto o corpo a cambalear? 

Imensos. 

Se queria por vezes desistir? 

Sim, fazer um “rebenta a bolha!”

Mas estou muito grata por tudo. 

E sei que tenho tudo o que preciso.

Sei também que estas férias me têm ensinado muito. 

Este caminho, é um longo e bom caminho para sermos pessoas melhores, é só saber olhar, ver, escutar. 

Se a vida te dá limões, faz uma festa e serve limonada! 

Cheers a todos os que estão por aqui. 

Obrigada por perderem estes minutos em devaneios meus. Que saudades que tenho de poder escrever. Aproveitei aqui a sesta do Fernandinho.

Agora vou de volta para o carrocel.

Inté,

A vossa Mu

No Comments

Post A Comment