Socorro! O meu bebé não dorme.

Fotografia de capa by Rita Franco Sousa.
Sling Pulguinhas

Há 6 meses atrás, partilhei que iria fazer uma consulta do sono para o Fernandinho.
Não tardaram em chegar toneladas das vossas mensagens, e foi aí, que percebi que este é um tema que bate à porta de tantas casas e de muitas famílias.

Há para aí mais gente a precisar de conversar bem mais (ou pelo menos mais horas seguidas) com a sua almofada, eu, sou uma delas.

São tantas noites em branco, feitas as contas, são 10 meses,  40 semanas 280 dias sem dormir… É dose.

Momento de pausa para dizer: Estou solidária com quem passa por isto. E com alguma inveja de quem dorme 8 horas seguidas.
Mas atenção e muito importante: Os Pais que dormem 8 horas seguidas não são melhores (nem piores). E sobretudo: O Pais que não dormem mais de duas horas seguidas (pufff se tanto) não são PIORES (nem melhores por sua vez), são só pessoas em privação de algo que é estruturante, e por isso são pessoas mais  cansadas, talvez mais disfuncionais, com o raciocínio perdido e à beira de um pequeno colapso, fora isso, tudo bem.

Não são os Pais, que definem à nascenca, quase tipo auto-setença, se vão ou não dormir. Isso, ao contrário de algumas coisas chatas  que oiço, não é escolha dos Pais.

E para nos ajudar a entender tudo melhor, através da ciência, da investigação e de muitos anos de dedicação e trabalho, está uma FADA, uma pessoa extraordinária, chamada Prof. Clementina Almeida.

Em 4 anos de maternidade, consultei muitas pessoas, experts do tema sono, gostei de alguns, não gostei de outros, e fui tentanto entender melhor este tema complexo, até conhecer a Clementina. 

A Clementina fala-nos ao coração, não julga, não condena, não aponta o dedo. E tudo o que diz  fá-lo de uma froma sólida e informada.
A Clementina, é Psicóloga clínica especializada em bebés,  é também fundadora e investigadora em baby lab, resumindo: UAU!
É também criadora de um projecto que vos falo noutro post, do qual sou grande admiradora e tenho a honra de ser parte integrante de embaixadores: o spa Forbabies, na cidade do Porto.

Depois de fazermos a primeira consulta, sentimos que era imperativo comprar o livro da queida Clementina, devorámo-lo, em poucos dias e à vez!

Começamos então, por perceber, que há comportamentos e determinadas características, que não são defeito dos nossos bebés: São assim mesmo! Condições de serem isso mesmo: Bebés.

Os bebés choram. Choram quando precisam de colo, de amparo, de alimento, de cuidado, quando têm cólicas, quando estão irritados ou com sono. E nós, estamos cá para isso mesmo, para lhes dar resposta e ajuda, enquanto eles não são capazes, se estão a organizar e estão, a aprender, para um dia fazerem sozinhos.
E este é o primeiro ponto, o qual já intuia por instinto Materno, mas que com a Clementina ficou tão claro.

Deixar o bebé a chorar (para dormir, ou não) não é bom, não é saudável e é até prerigoso.
Treinar o bebé a dormir- que implique deixá-lo a chorar, ainda menos.

Isto já  me foi proposto fazer, muitas vezes, durante a minha jornada Materna, deixar o bebé a chorar para ele aprender a dormir.
Mas na verdade, não concebo esta dinâmica, tenho muita dificuldade em entender, como se pode deixar um bebé num quarto sozinho a chorar, à espera que ele se organize sozinho.
O meu instinto (animal) manda-me a correr ir ter com ele, não sou capaz.
Mas infelizmente, é socialmente aceite e fica bem, que os deixemos “para lá” a chorar, porque “eles têm manhas”.

Deixar um bebé a chorar é mau em muitos apectos e para mim é contra-natura.
Mais importante do que a minha opinião, é o que fundamenta a Professora ciêntificamente.
Deixar o bebé a chorar é mau porque:

  • Distrói conexões importantes no cérebro do bebé – Causados pela ngústia e stresse (aumento do cortisol);

“(…)se deixar o bebé a chorar e não responder de imediato ao seu choro (as suas necessidades) ele eventualmente irá a prender a confortar-se e a adormecer sozinho. Na realidade a mensagem que está a passar ao seu bebé é a de que deve “desistir de esperar que se importe com ele”! Que mensagem dura, para um bebé tão pequenino!!!”Blog forbabies

  • Estamos a ensinar ao bebé, que temos mais que fazer e por consequência, não respondemos às suas necessidades;
  • Amento da frequência cardíaca do bebé;
  • Aumento da temperatura corporal e pressão sanguínea;
  • Em casos mais graves, vómitos;
  • Tudo isto junto aumenta considerávelmente o risco de morte súbita.

“Quando os bebés choram sozinhos e sem supervisão, experienciam pânico e ansiedade (hormona do stresse).”in Socorro o meu bebé não dorme.

“As pesquisas têm concluído que, durante o método “choro controlado” (CIO), os bebés passam por fases previsíveis. A primeira fase, chamada de “protesto”, consiste num choro alto e agitação extrema. A segunda fase, identificada como “desespero”, consiste num choro monótono, acompanhado de inatividade e retirada emocional. A terceira fase, chamada de “desapego”, consiste num renovado interesse, embora se trate de um interesse remoto e distante. Concluindo que,  deixar os bebés a chorar pode levar à eventual dissipação desses gritos, devido ao desenvolvimento gradual de apatia na criança.”in blogue forbabiesbrain.pt

E agora uma boa prespectiva:
” Isto significa que ao dar colo ao responder ao seu bebé, enquanto ele é bebé, está a ajudá-lo a desenvolver uma maior capacidade de se acalmar a si próprio sempre que se sinta triste, ou com raiva, ou até mais ansioso, em situações futuras.” – in Socorro o meu bebé não dorme.

Este foi um dos muitos pontos que esclareci na primeira consulta do sono.
Tudo isto me ajuda muito, sobretudo a descontruir monstros e mitos da nossa cultura que se impõem:

  • “O colo estraga”;
  • “eles ficam manhosos”;
  • “Porque não deixas o teu bebé um bocadinho a chorar?”;
  • “Adormecer o bebé ao colo é do pior que há, habitua-o mal.”;

Todos os dias me agarro ao que diz a Clementina, para interiorizar que, sobretudo, que estou no caminho certo e segura de que, o meu instinto de Mãe, está certo, responder e dar ao meu filho o que ele precisa, não é errado, se isso se apresenta no meu colo, é aí que está certo. Chamo a isto amar.

Em relação ao sono e às noites mal dormidas do fernando, na primeira consulta delineamos e alterámos alguns pontos importantes e que podiam fazer a diferença nas noites:

1 – As sestas durante o dia, irião passar a ser no ambiente dele e bem preparado para dormir, ou seja, escuro e na sua cama.

2 – Estava a super agassalhar o Fernando (isto ainda no verão). A Clementina explicou-me que a temperatura ideial para o bebé dormir ronda os 17 e os 19º. E esta, sabiam?
Não se preocupem, acho que é característico e típico de nós,  Mães, agasalhar os miudos de roupa como se estivéssemos no polo norte. A verdade é que se eles sentem muito calor, dispertam.

Esta é uma das razões para muitos dos despertares nocturnos dos bebés,  terem calor, sentirem-se mal, logo, acordar.

3- Zero mantas, zero cobertores, nada!

4- Deitar o Fernando mais tarde.
A hora de ir para a cama do Fernandinho sempre foi cedo, 19h30 muitas vezes. E na altura, ele fazia a “noite toda” no primeiro bocado da noite, ou seja até à uma da manhã.

Sabiam que nos bebés, dormir 5 horas seguidas é considerado dormir a noite toda?
Comprem e devorem este livro!!! Vão-se surpreender muito.

5 – Muito importante e que ajuda radicalmente no processo de dormir melhor (dia e noite) – levar o bebé para dormir na hora H.

E quando é a hora H?
Depois de uma sesta, os bebés voltam a aguentar a sua actividade física por mais cerca de duas / três horas, quando estão cansados e prontos para dormir, eles mostram um ar mais “zombie” e o seu olhar fica mais vago. Esta é a hora H.

É uma janela pequenina de oportunidade, e requer sintonia, atenção…
Quando o bebé esfrega os olhos / nariz / orelhas, já está cansado demais e já passou a nossa janela de oportunidade, ele já vai dar algum trabalho ao adormecer, e se for ainda mais distante disto, mais díficil ainda, para não dizer impossível.
Se o levarmos já muito cansado para a cama, é possível (quase certo) que ele entre em modo fera indomável, coisa digna de Cieque du Soleil, assim coisa para 30 ou 45 minutos a tratar do assunto.
Ou seja, não é bom para eles, não é bom para nós.

Ainda é, por vezes, desafiante aprender a responder às indicações que o Fernandinho me dá, perceber o timming certo, e esperar que corra tudo bem.
Apesar disso sinto, que os dois, já nos conhecemos bem, as rotinas vão se afinando cada vez mais (é importante não abrir mão delas, são estruturantes para o bebé / crinaça), os dois já vamos sendo mais sensíveis ao que é preciso.

Depois de 6 meses desde a primeira consulta, voltámos a falar com a Clementina.
As noites, que eu achava serem más, estão piores, estamos muito cansados e claramente a precisar de ajuda. Não é errado pedir ajuda, pelo contrário. E foi isso que fizémos.
Marcamos a segunda consulta e a terceira é já daqui a 7 dias para re-avaliar o processo, evoluções, tirar dúvidas e afinar cada vez mais todos e tantos pormenores que fazem diferença.

Nesta segunda consulta, voltámos a trazer TPC para casa:

  • Re-definir a roupa que. vestimos para o bebé dormir (agora inverno)- É possível que ele possa estar quente demais, daí despertar muitas vezes.
  • Re-definir e acertar os horários de alimentação e sono do Fernando  (ele está a fazer 1 sesta a menos e isso claramente está a condicionar as noites). Com a idade do Fernando (10meses) ele ainda precisa de dormir 3 sestas: 1 manhã, duas tarde.

A rotina ideal para um bebé, no dia-a-dia é:
Dormir, comer, brincar, dormir.
Como disse à pouco, depois de uma sesta, eles ganham um boost para cerca de 2h a 3h e por isso é preciso sabermos encaixar tudo nestes timmings e estarmos atentos.

Fingers crossed, vamos a isto.

Escrevo-vos sobre a evolução, em breve.
Até lá, e aos Pais mais desesperados e muito cansados, como nós, aconselho de coração que leiam este livro, porque fez  muita diferença nas nossas vidas e ajudou não só a perceber muitos conceitos como a desmistificar outros.

 

Aos que precisam de uma ajuda extra, podem (e devem) marcar uma consulta com a Clementina através do site: www.forbababiesbrain.com a quem não está no Porto, como nós, as consultas são feitas via skype e funcionam lindamente.

Tentemos não desesperar, na certeza de que num nada daremos por nós e eles deixam-nos dormir muitas horas seguidas até termos de os arrancar da cama (como eu em teenager!) <3
Com muita dose de amor e paciência.
Se tiverem dúvidas que queiram colocar, a mim ou à Clementina, deixem nos comentários e eu farei um novo artigo respondendo a tudo.

Obrigada à Clementina por toda a ajuda, e obrigada a vocês por estarem aqui.
Dejeso boas noites nas vossas casas,

Carmo / Mu

 

 

No Comments

Post A Comment